domingo, 22 de setembro de 2013

Livro: "A culpa é das estrelas" Autor: John Green


Comentário:
Olá, hoje escreverei sobre um grande best-seller, que fez muuito sucesso! E eu particularmente gostei muito! Um dos melhores livros que já li! Com uma narrativa super envolvente e divertida! Na linguagem dos adolescentes! Ahh, e desculpem o excesso de pontos de exclamação, mas amo eles e amei o livro! Eu não tenho o livro, uma colega minha me emprestou, mas eu pretendo o comprar só para o tê-lo. Todo mundo diz que chorou ao ler o livro, mas eu não chorei, que problema eu tenho? HAHA Mas quase chorei então!Ahh e também estão fazendo o filme do livre, pelo que vi está ficando bem legal, mas caí entre nós, o livro sempre supera o filme né? Gostei tanto da escrita do John que já está na minha listinha de leitura outros 3 livros dele: "Quem é você Alasca?" "O teorema Katherine" "Cidades de Papel". Então vamos lá, abaixo segue o resumo do livro e as melhores frases!

Resumo:

Capítulo 1: Hazel Grace Lancaster é uma menina de 16 anos com tireoide com metástase nos pulmões. A mãe dela achava que ela estava muito deprimida, pois nunca saia de casa, passava horas na cama e passava seu tempo abundante pensando na morte. Então, a mãe de Hazel decidiu colocar a filha num Grupo de Apoio, que ela teria que frequentar uma vez por semana. O Grupo de Apoio era formado por vários adolescentes/ jovens com várias questões psicológicas desencadeadas pelos tumores. Hazel nunca estava muito a fim de ir ao Grupo de Apoio, mas ela diz o que salvava ela era um amigo chamado Isaac, que tinha um câncer ocular. Certo dia, num encontro do grupo, apareceu um menino que não parava de encarar Hazel. Depois quando a reunião havia acabado Hazel conversou com ele e conhece-o, ele se chamava Augustus Waters. E na mesma hora ele pede a ela para ir olhar um filme na casa dele. Como a mãe de Hazel queria que ela fizesse amigos, ela a deixou ir.
Capítulo 2: Hazel dizia que Augustus dirigia muito mal, e ele disse a ela que ele tinha sido reprovado três vezes nos testes de direção. Augustus pediu a Hazel se ela ainda estudava, e ela disse que não, que ela já havia ganhado um certificado de conclusão de ensino médio da faculdade comunitária da cidade. Já ele estudava no segundo ano. Os dois chegaram à casa de Augustus, os pais deles o chamavam de Gus, e na casa Hazel observou várias frases sobre amor, família e amigos, colocadas em vários lugares da casa, que para os pais de Gus, eram frases encorajadoras. Gus mostrou o porão da casa dele para ela. E mostrou os artigos de basquete que ele tinha, ele também mostrou seus livros para ela e emprestou um a ela para ler. Os dois olharam o filme V de Vingança, e depois Hazel dirigiu o carro de Gus até sua casa. Os dois gostaram muito de se conhecer. Hazel achou Gus um menino muito bonito e querido. Gus queria combinar de ver Hazel no dia seguinte, mas ela disse que não. Ela ligaria para ele, quando ela teria terminado de ler o livro que Gus havia emprestado a ela.
Capítulo 3: Hazel ficou até tarde lendo o livro e de manhã também leu. Ela já havia acabado de ler o livro, e sua mãe pediu a ela de quem era o livro, e ela disse que era do Gus. A mãe disse a ela que estava na cara que ela estava gostando do Gus. Então Hazel vai à aula, e depois vai a livraria comprar os dois livros seguintes do livro que Gus tinha emprestado a ela. À tarde Hazel convidou sua amiga Kaitlyn para ir ao shopping, ela topou. No shopping Hazel comprou apenas um par de chinelos, já Kaitlyn comprou três pares de sapatos. Kaitlyn era uma socialite que havia estudado com Hazel no ensino infantil e fundamental. Hazel estava ansiosa para começar a ler a continuação do livro, então ela disse a Kaitlyn que estava muito cansada. E ela foi embora, mas Hazel ficou na praça, observando as crianças brincar e lendo seu livro.
Capítulo 4: Gus havia terminado de ler o livro favorito de Hazel, que era “Uma aflição imperial.”. Então ele mandou uma mensagem para Hazel vir urgentemente na casa dele. Chegando lá viu Isaac, seu amigo cego, chorando. Gus explicou que Mônica havia terminado o namoro com Isaac. Então ele só chorava e queria descontar sua raiva jogando videogames. Enquanto que Hazel e Gus discutiam o final do livro “Uma aflição imperial”, que tinha um final em aberto.
Capítulo 5: Já havia passado uma semana, e Gus e Hazel não se comunicavam. A última vez que eles haviam conversado foi através do celular, quando Isaac havia terminado com Mônica. E tinha sido Hazel que havia ligado para Gus. Então agora era a vez de Gus ligar para ela.  E Gus ligou para ela, para comentar do final aberto do livro favorito de Hazel “Uma aflição Imperial”. Então Hazel disse a Gus que já tinha tentado mandar várias cartas para Peter Van Houten para saber o final do livro, mas o autor nunca tinha respondido a ela. Então Gus disse que havia conseguido contato com a assistente do escritor. E ele já havia respondido para ele. Então imediatamente Hazel pediu o e-mail e foi mandar uma carta para o escritor fazendo perguntas sobre o livro, e dizendo que se ele publicaria mais alguma coisa, ela gostaria de ler, ela disse que leria até a lista do supermercado dele. Havia se passado dois dias e Peter ainda não tinha respondido a Hazel, para Gus ele havia respondido quatro horas depois do envio da mensagem. Mas Gus disse que ele estava demorando para responder pois a mensagem dela era melhor e exigia uma resposta mais elaborada. Gus enviou uma mensagem para Hazel dizendo que Isaac havia saído da cirurgia, e estava sem evidência de câncer ocular, porém, ainda continuava cego. Então Hazel foi ao hospital visitar Isaac, e ele disse a ela que ele estava junto com Mônica um ano e dois meses, e mesmo assim ela ainda não havia vindo visitar ele no hospital. Issac disse para Hazel que ele pensava mais na Mônica do que nos seus próprios olhos, e ele também disse que acreditava em amor verdadeiro, e ele pensava que todo mundo deveria ter um amor verdadeiro que durasse para o resto da vida. Quando Hazel chegou em casa, imediatamente verificou sua caixa de entrada de e-mails, o escritor tinha respondido! Ele disse que não poderia falar o fim do livro para ela, pois ela poderia publicar para o mundo inteiro. Ele disse que poderia apenas contar a ela pessoalmente. E convidou ela para visitar ele em Amsterdã, e que ele deixaria Hazel dar uma espiada em sua lista de supermercado. Hazel pediu a mãe se ela poderia viajar, mas ela disse que eles não tinham condição de realizar uma viagem internacional. E Hazel se sentiu meio idiota de pensar nessa possibilidade. Então Hazel mostrou a carta para Gus. A Fundação Gênio realiza um sonho de cada criança. E Hazel se arrependeu de ter ido aos 13 anos para a Disney com a fundação, por que hoje poderia pedir para ir para Amsterdã. No dia seguinte, quando Hazel estava voltando da feira com seus pais viu Augustus sentado na escada de sua casa, então ele deu um buquê de tulipas para Hazel e pediu a ela para sair e fazer um piquenique com ele. Então eles foram a um parque atrás do museu onde vários artistas fizeram grandes esculturas. E lá Gus disse para Hazel que ele ainda não tinha pedido nem um desejo para a Fundação Hazel, e então ele havia pedido uma viajem para Amsterdã com acompanhante, claro Hanzel.
Capítulo 6: Então, quando Hazel chegou em casa e contou para a mãe dela da viagem, ela não deixou. E depois muitas conversas, ela havia deixado. Porém ainda teriam que conversar com a médica de Hazel, que exigiu que um parente com conhecimentos da doença de Hazel fosse junto. Então os pais de Hazel iriam junto com ela e Gus para Amsterdã. Depois Hazel se deitou e ficou pensando no encontro no parque com Gus, que ele estava tocando no seu rosto, mas acabaram não se beijando. Então, Hazel decidiu ligar para sua amiga Kaitlyn, e ela contou toda história dela e de Gus. Kaitlyn disse que o conhecia e achava o maior gato. Ela disse a Hazel que se ela ficaria com o Gus, ela deveria contar todos os detalhes picantes para ela. Então Hazel lembrou que um dia Gus havia dito a ela, que a última namorada Caroline, que namorou havia morrido de câncer cerebral. Então ela pesquisou por Caroline na internet e viu que ela era muito parecida com ela. A única diferença que ela observou era que seus olhos eram castanhos claros, já os de Hazel eram verdes. Depois disso, Hazel teve muita dor de cabeça.
Capítulo 7: No meio da noite Hazel grita aos seus pais, as dores de cabaça haviam piorado. Então eles a levaram ao hospital. Ela ficou na UTI, não havia nem um tumor, mas as dores de cabeça eam provindas da falta de oxigenação, e também pelo pulmão apresentar uma quantia grande de líquidos, então eles tinha que drenar estes líquidos para fora do corpo. Depois de uma semana, Hazel voltou para casa, e para a surpresa dela o pai dela foi buscar Augustus para visitar ela, e ele disse que havia sentido muito a falta dela, depois de conversarem muito, Gus deu uma carta para Hazel do escritor Peter Van Houten, que ele comentava a amizade ou algo a mais dos dois adolescentes.
Capítulo 8: A equipe de câncer do hospital, sempre tinha uma reunião com vários médicos para tratar a situação de Hazel. E nessa reunião Hazel pediu se ela conseguiria fazer uma viagem internacional, uns médicos disseram que sim e outros que não. Então os pais dela disseram que só permitiriam ela viajar para Amsterdã se todos os médicos entrassem num consenso e daí eles iriam a deixar ir. Então a médica de Hazel Dr. Maria disse que eles deveriam a deixar viajar e deixar a filha viver a vida dela. Então os pais a deixaram viajar.
Capítulo 9: No dia anterior da viagem de Hazel para Amsterdã, Hazel foi ao Grupo de apoio com Isaac e depois foram a casa dele jogar videogames.
Capítulo 10: Na manhã da viagem, Hazel e sua mãe foram até a casa de Gus, para ele ir junto com elas para o aeroporto, o pai de Hazel não pode ir junto, chegaram ao aeroporto e entraram no avião. E lá a mãe de Hazel só dormia, enquanto que Gus e Hazel olhavam o filme 300. E no fim do filme, os dois começaram a ler poemas, e, no entanto Gus disse para Hazel que estava apaixonado por ela, ela não falou nada, apenas o observou.
Capítulo 11: Chegaram a Amsterdã, e para noite a assistente do escritor Van Peter Houten havia reservado uma janta para Gus e Hazel. Então a mãe de Hazel deixou os dois irem sozinhos. Lá no restaurante Gus e Hazel tomaram pela primeira vez champanhe e gostaram muito. E também pediram uma comida vegetariana, pois Hazel era vegetariana. Também conversaram sobre a vida depois da morte, Hazel disse que nunca tinha acreditado em um paraíso e isso para ela era um tipo de limitação intelectual, já Gus acreditava sim em uma vida após a morte. Até o fim do encontro Gus falou de sua ex-namorada Caroline para Hazel.
Capítulo 12: No dia seguinte, eles teriam o encontro com o escritor Peter Van Houten, a mãe de Hazel a deixou ir sozinha com Gus, já que ela não gostava mesmo do livro, e favorito de Hazel, “Uma aflição imperial”. Chegaram à casa do escritor, e viram que ele era um homem gordo, não muito educado e que gostava de rap. Depois de uma longa discussão, Peter disse que não poderia responder a nenhuma pergunta de Hazel, então ela desistiu. E saiu chorando da casa com Gus. A assistente veio atrás deles e se desculpou imensamente a Gus e Hazel e decidiu leva-los a Anne Frank Huis. E no caminho explicou por que ele tinha se tornado um homem cruel. Dentro do museu Anne Frank, Gus e Hazel se beijaram pela primeira vez. Depois os dois voltaram para o hotel, e lá foram para o quarto de Gus, e os dois tiveram sua primeira relação sexual.
Capítulo 13: No último dia que eles estavam em Amsterdã, Gus decidiu contar uma coisa para Hazel que já deveria ter contado. Gus já havia perdido uma perna e agora ele disse a Hazel que quando ela estava na UTI, ele fez uma tomografia que informava que o câncer havia voltado ao quadril, ele se desculpou por não ter contado antes, mas ela entendeu, então Gus disse que lutaria contra o câncer e daria um jeito de continuar enchendo o saco de Hazel.
Capítulo 14: Depois de voltarem de viagem, Hazel descansou e foi se encontrar com Augustus e Isaac. Gus e Hazel contaram como foi a viagem e depois pediram a Isaac se a Mônica já tinha falado com ele e Issac respondeu que não. Então Hazel comprou uma bandeja de ovos e os três foram atirar ovos no carro de Mônica.
Capítulo 15: Os pais de Hazel e Gus decidem realizar um jantar na casa de Gus, e nessa janta Gus e Hazel não paravam de falar que a comida lá da Holanda, do restaurante, era ótima e que nunca tinham comido algo parecido. Depois de uma semana Gus estava com muitas dores no peito e ele teve que ir ao hospital e os médicos disseram que agora em diante ele só poderia andar de cadeira de rodas.
Capítulo 16: Hazel foi à casa de Gus e lá almoçou com os pais deles. E depois Gus disse a ela que ele faria um final para o livro “Uma Aflição Imperial”. Mas ultimamente estava muito cansado e quando pudesse ele faria. Também jogaram videogames, que Hazel sempre perdia. Depois disse Hazel foi para casa e dormiu.
Capítulo 17: Certa manhã Hazel foi a casa de Gus e ele ainda estava dormindo ela entrou no quarto dele e viu que ele havia mijado na cama. Então ela chamou os pais dele e eles o limparam. Gus ficou com vergonha de Hazel, mas ela disse que não era necessário, pois ela também já havia feito xixi na cama. Depois disso os dois jogaram mais videogame.
Capítulo 18: Eram 2h35min da manhã e Gus liga para Hazel ir encontra-lo no posto de gasolina. Ele estava todo vomitado, o caninho de alimentação estava defeituoso, então Hazel chama a ambulância, e Gus disse para Hazel que ele apenas queria fazer uma simples coisa sozinho, comprar um maço de cigarros, que na verdade ele não fumava, só colocava entre os dentes de enfeite, e então a ambulância chega.
Capítulo 19: Depois de alguns dias Gus voltou do hospital, passou a precisar de mais remédios para acabar com a dor, ele se mudou para uma cama de hospital colocada perto da janela da sala de estar. Então, Hazel o visitava, e certo dia Gus disse a Hazel que ele agradecia todos os dias para Deus pela existência dela.
Capítulo 20: Augustus pediu para Issac e Hazel fazerem um elogio fúnebre para ele, pois ele queria ver o que eles falariam dele no enterro. Então Gus realizou um pré-enterro na igreja só com Issac e Hazel, e os dois leram seus elogios fúnebres para ele.
Capítulo 21: Augusto Waters morreu oito dias depois de seu pré-enterro. Para Hazel foi insuportável, cada segundo um pior que o outro. Os pais de Gus ligaram para Hazel dizendo que o enterro estava marcado para cinco dias. E ela sabia que ela teria que discursar para uma igreja cheia.
Capítulo 22: Chegou o dia do enterro de Gus, a igreja estava cheia, Isaac já tinha discursado e agora era a vez de Hazel, o pastor havia chamado ela como amiga de Gus, mas então na ora ela o repreendeu e disse que era namorada dele. Para surpresa de Hazel, o escritor Peter Van Houten estava presente no enterro, depois ele explicou para Hazel, que ele havia recebido uma carta de Gus dizendo que ele perdoava a atitude do escritor do dia que os dois haviam o visitado se ele viesse ao enterro dele e contasse o final da história para Hazel.
Capítulo 23: Hazel decidiu passar um dia jogando videogames com Issac, e eles comentavam a imensa falta que Gus fazia, Issac pediu a Hazel se ela tinha recebido uma continuação do livro “Uma Aflição Imperial” que Gus havia escrito para ela, e ela disse que não, e no mesmo instante decidiu ir à casa de Gus procurar o que ele havia escrito para ela. Quando ela entrou no carro, percebeu que havia alguém sentado no banco de trás, era o escritor Peter Van Houten, ele se desculpou pelo ocorrido novamente e disse que ele tinha perdido uma filha com leucemia, então Hazel fez as pazes com ele e disse que ele deveria ir para casa e escrever outro livro, fazer o que ele fazia bem, então ele concordou. Hazel não desistiu e foi à casa de Gus procurar algo que ele teria escrito para ela, mas não achou nada.
Capítulo 24: Três dias depois, o pai de Gus ligou para Hazel dizendo que tinha achado um Moleskine preto, mas ele não havia nada escrito, ele disse que as três ou quatro páginas haviam sido arrancadas. Hazel queria muito achar essas páginas, então no dia seguinte ela foi com Issac na igreja para participar do Grupo de Apoio, Hazel procurou por todo igreja, mas não achou nenhuma página escrita por Gus.
Capítulo 25: Certa manhã Kaitlyn ligou para Hazel, ela queria saber como ela estava com a perda de Gus, ela disse que estava muito mal e ia levando, ela também disse que ela estava procurando por algo que Gus havia escrito, mas até agora não havia achado, então Kaitlyn disse para Hazel que talvez ele não tivesse escrito para ela e nem enviado para ela, mas sim para outra pessoa. Naquela hora Hazel achou sou amiga um gênio, pois ela só podia pensar em Peter Van Houten! Logo Hazel mandou um e-mail para a assistente do escritor, e ela disse que na manhã seguinte iria até a casa dele checar se ele havia recebido uma carta de Gus. Certo dia, a mãe e o pai de Hazel decidem fazer um piquenique com ela, e depois eles vão ao cemitério visitar Gus. Na volta para casa, Hazel checa seus e-mail, e viu que recebeu uma mensagem da assistente de Pater com quatro anexos. Ela os abriu imediatamente, e leu-os era um elogio fúnebre de Peter para Hazel, ele queria que Peter modificasse e tornasse um texto melhor e mais coerente antes de enviar a Hazel. E Hazel leu as cartas e amou muito. No fim da carta Gus dizia que não podemos escolher se vamos ou não se ferir neste mundo, mas é possível escolher quem vai nos ferir. E Gus disse que aceitava as escolhas dele. E ele esperava que Hazel aceitasse as dela. E Hazel disse que aceitava. 
Melhores frases do livro:
“Seria uma honra ter o coração partido por você.”

 “Esse é o problema da dor, ela precisa ser sentida.”

"Meus pensamentos são estrelas que eu não consigo arrumar em constelações."

"O mundo não é uma fábrica de realização de desejos."

 "Todo mundo deveria ter um amor verdadeiro, que deveria durar pelo menos até o fim da vida da pessoa."

Nos dias mais sombrios, o Senhor coloca as melhores pessoas na sua vida.

Você está tão ocupada sendo você mesma que não faz ideia de quão absolutamente sem igual você é.

Vamos viver o melhor de nossas vidas hoje.

Os verdadeiros heróis, no fim das contas, não são as pessoas que realizam certas coisas, os verdadeiros heróis são os que reparam nas coisas.

Estou apaixonado por você. - ele disse baixinho. […] Estou apaixonado por você e não quero me negar o simples prazer de compartilhar algo verdadeiro. Estou apaixonado por você, e sei que o amor é apenas um grito no vácuo, e que o esquecimento é inevitável, e que estamos todos condenados ao fim, e que haverá um dia em que quase tudo o que fizemos voltará ao pó, e sei que o sol vai engolir a única Terra que podemos chamar de nossa, e estou apaixonado por você.

[…] o universo quer ser notado. Mas o que nós queremos é ser notado pelo universo, fazer com que o universo dê alguma bola para o que acontece com a gente.

Às vezes, as pessoas não têm noção das promessas que estão fazendo no momento em que as fazem.

Nem todas as pessoas têm essa sorte de ser muito bom em alguma coisa.

A única pessoa com quem eu queria falar sobre a morte de Augustus Waters era o Augustus Waters.

Alguns infinitos são maiores que outros… Há dias, muitos deles, em que fico zangada com o tamanho do meu conjunto ilimitado. Eu queria mais números do que provavelmente vou ter.

Chegará uma época em que não restarão seres humanos para recordar que alguém sequer existiu. Não sobrará ninguém nem para recordar Aristóteles ou Cleópatra, quanto mais a ti.

Senhor, dê-me serenidade para aceitar as coisas que não posso modificar, coragem para modificar as que posso, e sabedoria para reconhecer a diferença entre elas.

[…]Mas eu acredito em amor verdadeiro, sabe? Não acho que todo mundo possa continuar tendo dois olhos nem que possa evitar ficar doente, e tal, mas todo mundo deveria ter um amor verdadeiro, que deveria durar pelo menos até o fim da vida da pessoa.

Eu fiquei pensando no verbo lidar, e em todas as coisas não lidáveis com que se tem que lidar.











12 comentários:

  1. Amei a resenha : ) Já leu Easy? É perfeito. Bjo

    ResponderExcluir
  2. Olá Jaqueline! Não, nunca ouvi falar deste livro. Mas quem é o autor? Um dia poderei ler, mas minha listinha de leitura está longa... Hehehe ;)

    ResponderExcluir
  3. Ah, a minha também está BEM LONGA. A autora é Tammara Webber, e o livro é muito bom, principalmente o fim. Não sei porque mas sempre choro em final de livros bons.

    ResponderExcluir
  4. SÉRIO? Também queria chorar ao ler um livro! kkkk Ainda não encontrei nenhum livro tão bom que me levasse a chorar, esse "A culpa é das estrelas" quase chorei... Hehehe Mas ainda encontro! Pode deixar! hahaha ;)

    ResponderExcluir
  5. Eu queria poder dizer que "quase chorei", mas comecei a chorar da metade para o fim. Sem parar '-'

    ResponderExcluir
  6. HAHAHAHA, sério? vai entender... cada um, cada um né.

    ResponderExcluir
  7. Eu amei o livro e queria conhecer o John Green.
    E começei a chorar sem parar na parte que ele disse que amava ela chorei por uma hora e meia.Sou apaixonada pro esse livro, o livro A MENINA QUE ROUBAVA LIVROS tambem gosto muito estou louca para ler os outros livros dele :)

    ResponderExcluir
  8. Amei esse livro. Valeu a pena ler cada pagina!

    ResponderExcluir
  9. Amei o livro , muito emocionante sou apaixinada por esse filme 💓

    ResponderExcluir
  10. Filme perfeio , amei , amei as frases do filme como ' a dor precisa ser sentida , queria muito conhecer o autor e os outros , e o autor esta de parabéns por ter feito um filme que emocionou a todos ..
    Esse filme conta um pouco da minha historia ...

    ResponderExcluir
  11. me ajudou muito para o meu trabalho escolar :)

    ResponderExcluir